Nova nota de 200: entenda os motivos para a criação da nova cédula.

3 minutos para ler

No dia 29 de julho deste ano, o Banco Central anunciou o lançamento de uma nova cédula que entrará em circulação ainda em 2020. A ação deixou muitas pessoas confusas e até receosas de que, talvez, uma nova nota pudesse aumentar a inflação do país drasticamente como houve com o Plano Real em 1994. 

Mas a verdade é que a nova nota, está longe de ser estopim para um aumento da inflação. Ela veio como uma medida devido à pandemia do novo coronavírus. 

Mas afinal, por que essa nova nota foi criada? 

Primeiramente devido Auxílio Emergencial, a impressão de notas pelo Banco Central aumentou consideravelmente a ponto de o benefício ser travado duas vezes, uma em maio, onde o BC precisou imprimir mais R$9 Bilhões, e outra em julho onde foram necessários mais R$437,9 milhões em cédulas impressas. 

Mais de 63,5 milhões de pessoas receberam o auxílio, se multiplicarmos em 6 vezes, o número de notas do valor mínimo do auxílio, temos 381 milhões de cédulas. 

Ou seja, a medida do Banco Central seria reduzir esse número, ao invés da pessoa receber 6 cédulas de R$100 ela receberá 3 cédulas de R$200.  

E a inflação, pode aumentar? 

É pouco provável. Diferente do Plano Real, o valor da moeda não está sendo alterado, é somente a implantação de uma nova cédula em circulação. Além disso, não é um “dinheiro a mais”, é uma substituição de uma parte das notas de R$100. 

Devido a pandemia, temos menos dinheiro em circulação. Várias empresas fecharam as portas, pessoas perderam seus empregos, e/ou tiveram seus salários reduzidos. Isso baixou o poder de comprar e fez o PIB brasileiro cair, dessa forma, os preços dos produtos tende a baixar. 

Contudo, esta nova cédula está chegando para suprir uma necessidade do Banco Central e facilitar a movimentação da moeda no país. 

Posts relacionados

Deixe um comentário